Solenidade da Santíssima Trindade 2018

Domingo, 27 de Maio de 2018 – Santíssima Trindade 

 

*************

 

Áudio da Homilia de Padre Pablo, Diretor Espiritual de Manoel de Jesus e Diretor deste Apostolado

Homilia Solenidade da Santíssima Trindade – 27.05.2018

*************

[Extraído da Liturgia das Horas – I Vésperas – Ofício das Leituras]

Domingo depois de Pentecostes

Santíssima Trindade

Solenidade

+++++++

Das Cartas de Santo Atanásio, bispo
(Ep. 1 ad Serapionem, 28-30: PG 26, 594-595) (Sec. IV)

Luz, esplendor, graça

 Não devemos perder de vista a tradição, a doutrina e a fé da Igreja católica, tal como o Senhor a ensinou, tal como a pregaram os Apóstolos e a transmitiram os Santos Padres.

De facto, a tradição constitui o alicerce da Igreja, e todo aquele que a abandona deixa de ser cristão e já não merece usar esse nome.

  Ora a nossa fé é esta: acreditamos na Trindade santa e perfeita, que é o Pai, o Filho e o Espírito Santo;

  – não há n’Ela mistura de nenhum elemento estranho;

  – não Se compõe de Criador e criatura;

  – mas toda Ela é criadora e eficaz;

  – uma só é a sua natureza,

  – uma só é a sua eficiência e acção.

  O Pai cria todas as coisas por meio do Verbo, no Espírito Santo; e deste modo se afirma a unidade da Santíssima Trindade.

Por isso se proclama na Igreja um só Deus:

 –  que está acima de tudo,

  – atua em tudo

  – e está em tudo.

    – Está acima de tudo como Pai –  princípio e origem;

    – atua em tudo  – por meio do Verbo;

    – e está em tudo  – no Espírito Santo.

   O Apóstolo São Paulo, escrevendo aos coríntios acerca dos dons espirituais, tudo refere a Deus Pai como princípio de todas as coisas, dizendo:

 – Há diversidade de dons espirituais, mas o Espírito é o mesmo;

  – há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo;

  – e há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que realiza tudo em todos.

Os dons que o Espírito distribui a cada um vêm do Pai, por meio do Verbo.

De fato, tudo o que é do Pai é do Filho; e, portanto:

as graças concedidas pelo Filho, no Espírito Santo, são dons do Pai.

                                            De igual modo:

   – quando o Espírito está em nós,

– também em nós está o Verbo

   – de quem recebemos o Espírito;

           – e, com o Verbo, está também o Pai.

  Assim se realiza o que diz a Escritura: O Pai e Eu viremos a ele e faremos nele a nossa morada.

  Porque onde está a luz, aí está também o esplendor da luz;

e onde está o esplendor, aí está também a sua graça eficiente e esplendorosa.

  Isto mesmo no-lo ensina São Paulo na Segunda Epístola aos Coríntios com estas palavras:

  “A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.”

Efetivamente, toda a graça que nos é dada em nome da Santíssima Trindade:

  – vem do Pai,

  – pelo Filho,

  – no Espírito Santo.

Assim como toda a graça nos vem do Pai

– por meio do Filho,

  – assim também não podemos receber nenhuma graça senão no Espírito Santo,

  – por cuja participação temos o amor do Pai, a graça do Filho e a comunhão do mesmo Espírito.

Fonte: http://www.ibreviary.com/m2/breviario.php?s=ufficio_delle_letture

+++++++

 

Share This:

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.