Desagravo ao Sagrado Coração de Jesus – São Luis de Montfort

19 de junho – Solenidade do Sagrado Coração de Jesus

DESAGRAVO AO SAGRADO CORAÇÃO

De São Luís Maria de Monfort

 

1 – Ó Coração de Deus, sempre adorável!

Ó Coração de todos meus amores!

Ó Coração, digno de amor e loas,

que me amas e regalas vossos favores.

2 – Ainda que eu seja tão pobre e miserável,

e o pior pecador de todo o mundo,

quero render reparação condigna

e oferecer-vos meu amor, meu amor profundo.

3 – Perdão pelos infiéis. Todos eles

para vós foram feitos e criados,

e apesar de vosso amor e vossas bondades,

vos atacam e resultam condenados.

4 – Perdão, perdão, por todos os cismáticos,

que quebraram vossa unidade. Perdão, perdão,

por todos os hereges. Eles negam

vossa verdade e infinita compaixão.

5 – Perdão. São uns bárbaros. Perdão. Perdão

por sua conduta e ousadia.

Perdão por seus desprezos e sua raiva.

Perdão por sua crueldade e rebeldia.

6 – Perdão, ó Coração divino! Pois esquecem

vosso Coração no altar sagrado.

Perdão pelos ímpios que, incessantes

vosso amor e vossa bondade, hão profanado.

7 – Perdão pelas terríveis insolências

nessas entrevistas criminais.

Perdão. Perdão por tanta irreverência,

que profana o alvor de vossos altares.

8 – Se vos fere e traspassa o Coração,

coisa que o próprio Lúcifer não faz.

Por tal blasfêmia e por tais perjúrios,

dou-vos o que vos agrada e satisfaz.

9 – Ah, perdoai aos maus sacerdotes,

e aos vossos inimigos camuflados.

Perdoai aos traidores, que aos milhares,

vos recebem cobertos de pecados.

10 – Ai, Senhor! Vos rejeitam da vida,

caminhais entre angústias e entre pranto.

Ai! Vos crucificam… Olhos, chorai!

Lágrimas, manifestem seu quebranto!

11 – Perdão pelos medíocres e os tíbios,

que vão dormitar ante vosso altar,

e que por seus pecados e suas manchas

vos provocam, Senhor, a vomitar.

12 – Perdoai-me, Senhor, misericórdia.

Eu tantas vezes me aproximei até vós,

com extrema tibieza, teimosia,

até não poder mais: piedade de mim!

13 – Por esta negligência refinada.

Por meu despreparo e indiferença,

quando venho à santa comunhão,

e por não vos receber com frequência.

14 – Minha ingratidão, perdoai. Vós me destes

benefícios e nobres atitudes.

Perdoai meu descuido e pouco empenho

por imitar vossos gestos e virtudes.

15 – Ó Jesus! Meu Jesus, misericórdia!

Tende compaixão por todos meus pecados,

que, se não me perdoais desde agora,

conto-me entre os pobres condenados.

16 – Poderá teu coração ser insensível,

ao Coração de Cristo, desprezado?

Ó, não! Nunca! Jamais! Que não é possível

desprezar tanto amor sacrificado.

17 – Se um infiel e um pagão te amam tanto,

como não o amarás, como não amas

a este divino Coração amante

que te quer abrasar entre suas chamas?

18 – Coração amoroso, a vós me abraço.

Dou-me todo a vós. Entrego-me todo.

Se vós me amastes tanto e tanto me amais,

é justo responder do mesmo modo.

19 – Ai! Não ter as lágrimas copiosas

das gotas de água do mar!

Quantos suas armas alçam. Ai de mim!

Contra esse Coração que tem que amar!

20 – Pudesse eu correr céus e terra,

para gritar no céu, terra e mar:

Pecadores, não façam mais guerra

a este coração que tem que amar.

21 – Pudesse eu render-vos mil obséquios,

avançando com uma corda ao pescoço,

reparar as feridas e os golpes,

embora me chamem louco e ruim por isto.

22 – Ó Coração! Pudesse eu colocar-vos

em todo coração e humana mente,

e submeter ao vosso poder e império

reis e imperadores juntamente.

23 – Sejam, ao menos, os versos destas páginas,

por amor, de seu amor, pregadores,

que logrem reparar tantos ultrajes,

e brindar graça e paz aos seus leitores.

24 – Vão! Rompam o gelo em todas as partes.

Vão! Para todos os lados, destruam o pecado.

Vão! Rendam a Deus suas homenagens.

Vão! Que em vão, até hoje, se hão ocultado.

25 – Não poderei eu expressar isso que sinto;

aquilo que por dentro me tortura?

Fala e suaviza meu martírio e pena.

Transforma tu em gozo, minha amargura.

26 – Novos pregadores, a porfia,

forjai em vossa onipotência, ó Coração,

que preguem vosso amor em todas as partes,

e publiquem vossa graça e vosso perdão.

27 – Glória ao vosso Coração, Ó Jesus meu,

pelo Coração santo de Maria,

escuta como implora e vos suplica.

Olha como vos honra noite e dia.

28 – Ó Coração Sagrado! Por seus peitos,

por seu seio, que foi vossa morada,

perdoai-nos, a tantos infelizes

a crueldade, no trato exagerada.

29 – Pela chama divina, cativado,

em que vosso sacro Coração transborda,

Pronto! Abro-vos meu peito e vos recebo,

divino Coração. Entrai em meu nada.

30 – Por último, escusando minha ousadia,

tirai-me o coração tão pecador,

e não conte eu mais, nesta vida,

com outro coração, que o de vosso amor.

*************************

Share This:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.