Dias Litúrgicos

12.12.2020 – Solenidade de Nossa Senhora de Guadalupe

Feliz Festa da Virgem de Guadalupe!

Download – pdf – A5 – Português

Download – pdf – A5 – Español

 “Não se entristeça teu coração … Por acaso não estou Eu que sou tua Mãe?” Disse a Virgem de Guadalupe ao aflito Juan Diego no dia 12 de dezembro de 1531.

Ela, a Imperatriz da América e Padroeira do México, quis deixar sua imagem, desde aquele dia, em uma simples “tilma” como sinal do Amor de Deus para os crentes e não crentes.

Por ocasião desta grande celebração, as portas da Basílica de São Pedro se abrirão hoje para que o Papa Francisco, junto a milhares de fiéis latino-americanos e 750 sacerdotes concelebrantes, celebrem uma grande missa crioula em espanhol.

A História da Virgem de Tepeyac

Só dez anos após a conquista do México, os missionários tinham pouco êxito na evangelização e na conversão dos novos povos. Em grande parte pelo mau exemplo dos que, chamando-se cristãos, abusaram dos nativos.

Em 9 de dezembro de 1531, a Virgem apareceu a um humilde índio, convertido ao cristianismo, chamado Juan Diego, em um lugar chamado Tepeyac. Maria se apresentou como “a perfeita sempre Virgem Santa Maria, Mãe do verdadeiro Deus”.

A Rainha dos Céus incumbiu-o de pedir em Seu nome ao Bispo da Capital, o franciscano Juan de Zumárraga, a construção de uma Igreja no lugar da aparição.

O Bispo não aceitou a ideia, e a Virgem pediu-lhe que insistisse. No dia seguinte, Juan Diego voltou a encontrou-se com o Prelado, que o examinou na doutrina cristã, e lhe pediu provas objetivas do prodígio.

Na terça-feira, 12 de dezembro, a Virgem se apresentou e consolou Juan Diego dizendo: “Não temas …” porque seu tio já estava curado. Logo o convidou para subir ao topo da colina Tepeyac para que colhesse flores e as trouxesse.

Apesar da estação invernal e da aridez do lugar, São Juan Diego encontrou flores muito belas, e as colocou em sua “tilma”. A Virgem então mandou-o que as apresentasse ao Bispo.

Estando do Prelado, o Santo abriu sua “tilma” e deixou cair as flores. No tecido apareceu a imagem da Virgem de Guadalupe, e o Bispo e outros presentes caíram de joelhos com grande espanto. Logo o bispo pediu perdão.

No dia seguinte, foram ao Monte do Tepeyac, onde imediatamente as pessoas se ofereceram para elevar (construir) o templo.

Juan Diego pediu licença e foi apressadamente ver seu tio Juan Bernardino, que havia estado muito grave de saúde, e ao chegar, viu que seu parente estava recuperado.

Ali Juan Diego contou-lhe o que havia acontecido e o tio respondeu, dizendo que a Virgem também lhe havia aparecido, e que Ela lhe havia pedido que contasse de sua cura ao Bispo.

Com o manto, a Virgem trouxe reconciliação entre nativos e espanhóis, porque com os símbolos que ali aparecem, as duas culturas puderam entender perfeitamente a mensagem do Céu.

De igual modo, ajudou-os a compreender que a fé cristã não é propriedade de ninguém, mas sim um dom de amor a todos.

Nos 7 anos após as aparições, houve uma conversão de 8 milhões de nativos. O que é uma média de 3.000 homens por dia, e nos lembra a pregação de São Pedro no dia de Pentecostes, no qual também se converteram 3.000 homens aquele dia.

A cada ano se aproximam da venerada imagem, cerca de 20 milhões de fiéis, e no dia de sua festa, calcula-se que quase três milhões vão ao santuário.

 “Quero muito. Ardo de desejos, de que aqui tenham a bondade de construir-Me meu pequeno templo, para ali mostra-lo a vocês; engrandecê-lo; entregarem-se a Ele, que é todo meu amor; a Ele que é meu olhar compassivo; a Ele que é Meu auxílio; a Ele que é minha salvação”, disse a Virgem de Guadalupe a São Juan Diego.

“Porque em verdade, Eu Me honro de ser Mãe compassiva de todos vocês, tua e de todas as pessoas, que aqui nesta terra estão em unidade, e das mais variadas linhagens de …”

*****************************

Video: Solenidade da Virgem de Guadalupe. O Terceiro Fiat

Fonte do Vídeo: Apostolado de Los Sagrados Corazones Unidos

[Texto explicativo do Video supra, da mesma fonte acima do ASCUJM]

Solenidade da Virgem de Guadalupe. O Terceiro Fiat

A Rainha do Céu Maria Santíssima, nossa Mãe na Divina Vontade, na advocação e missão da Virgem de Guadalupe, apareceu em 9 de dezembro de 1531 em um local desolado do novo continente.

Foi a primeira de quatro aparições da Virgem de Guadalupe ao indígena chamado Juan Diego / /Cuauhtlatoatzin/ Cuauhtlatoa – Nome composto em sua língua nativa, náhuatl, relacionado com as palavras Água e Falar

Guadalupe seria uma variação linguística do náhuatl, significando “A que pisa a serpente.”

É interessante notar que enquanto a águia voa alto, a serpente se arrasta no solo, como esperando seu anunciado final.

A Virgem de Guadalupe seria então, aquela que anuncia o fim dos tempos, com o nascimento da nova humanidade, simbolizado pela gravidez detectada na tilma exposto em sua basílica do Tepeyac.

Juan Diego, a águia que fala, seria o protótipo de todos os filhos da mulher vestida de sol, que, unidos aos Corações de Jesus e Maria, colaborariam para a derrota das trevas.

Tudo isso aconteceria enquanto os filhos da mulher vestida com o Sol voassem alto como as águias representadas em Juan Diego, e simbolizando nas alturas a transição para a nova humanidade ou Jerusalém celestial.

O primeiro Fiat da nossa história de salvação após a queda pelo pecado original, foi dado por Maria de Nazaré, filha de São Joaquim e de Santa Ana, durante a anunciação trazida pelo grande mensageiro, o Arcanjo Gabriel.

As palavras foram: Fiat Voluntas tua, seja feita a tua vontade em mim. (Lucas 1:38)

O segundo Fiat foi dado por Jesus de Nazaré, filho da Virgem Maria e Mãe durante sua agonia no Jardim do Getsêmani.

As palavras do nosso amado foram: Que não se faça minha vontade, mas a tua. (Lucas 22:42)

O terceiro Fiat é o que deve vir de cada um de nós.

As três Américas simbolizam o novo mundo, a nova humanidade.

Estão sob o amparo da Imperatriz Virgem de Guadalupe, ou seja, a mulher vestida de sol (Apocalipse 12: 1) e do Espírito Santo (Apocalipse 22:17) que espera renovar a face da terra.

Ao dar o nosso Fiat, estamos abrindo as portas à nova humanidade (Apocalipse 21: 9-27) para todos aqueles que desejam abraçar o amor de Deus implorando misericórdia.

*******************

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: