Apresentação

cropped-valida-emblema-Apostolado.jpg

Apresentação

Porque não há no mundo, nem sabedoria, nem conhecimento de Deus, e os homens perecem por falta de conhecimento.

Os homens não sabem discernir o bem do mal, porque procuram reafirmar  sua própria verdade fugindo deliberadamente da verdade da Palavra de Deus, porque esta lhes compromete.

As mensagens contidas no Apostolado dos Sagrados Corações Unidos de Jesus e Maria, estão destinadas a advertir o homem dos graves perigos que lhe espreitam, para que se converta e viva. Não para satisfazer  sua curiosidade. Mas pelo contrário, primeiramente procurem o umbral da reconciliação, mostrando o Amor de Deus, ou seja, a acolhida da Divina Misericórdia. 


As revelações recebidas por Manuel de Jesus estão a serviço da Revelação Pública.

Portanto, as mensagens não acrescentam, tiram ou corrigem. Mas sublinham, esclarecem e iluminam a Revelação Divina já publicamente proclamada.

Os Chamados de Amor e de Conversão são como uma aldrava, que chama às portas das consciências adormecidas.

São como trombetas, que clamam no deserto, e recordam aos corações endurecidos, que o desprezo da Sagrada Tradição, e fazer caso omisso à Sagrada Escritura, provocado pela tibieza, pela indiferença e oposição a Deus, traz grandes males.

Atrofiado está no coração do homem, e um abismo o separa do seu Criador. E este abismo aumenta cada vez mais, porque o homem rejeita o seu Deus e não O ama.

Daí, que  a humanidade está vivendo convulsões inimagináveis.

Todos os que se apoiam em fantasiosos prognósticos humanos, e esperam que a situação caótica presente em que nos movemos, retornará por si só para cursos razoáveis, ou que uma Nova Ordem Mundial encontrará a saída do labirinto apocalíptico no qual já estamos instalados, têm ofuscada a razão. E estão inchados de orgulho, já que não aspiram às coisas do Céu; e, por consequência, deixam de lado aquilo que pode endereçar-lhes ao caminho tortuoso por onde eles caminham.

O mundo está mais além de qualquer solução humana. Necessita a intervenção divina, e as mensagens reveladas a este pequeno instrumento, Manuel de Jesus, do qual Deus se serve, levam esperança às pessoas piedosas e amantes do Senhor, perplexas pela  agonia de um Corpo Místico, a Igreja; e afobadas por lobos vestidos de cordeiro. Já que os Chamados de Amor e Conversão anunciam um Novo Pentecostes, que liberará o Resto Fiel da opressão da Grande Babilônia e outorgará o dom de uma Nova Jerusalém. E, como um menestrel que canta “Maranatha”, o instrumento suscitado por Deus, prepara os caminhos do Senhor, ou seja, o Triunfo do Imaculado Coração de Maria, com o Advento do Reinado do Coração Eucarístico de Jesus. 


Cumprindo o encargo do Céu, Manuel de Jesus fala de oração, sacrifício e penitencia.

É o povo que cumpre a vontade de Deus; fiel ao Papa; adorador do Santíssimo Sacramento do Altar, e devoto da Virgem Maria, os principais destinatários dos Chamados de Amor e Conversão. Ainda que estes também compõem um “Requiem”para os idólatras e apóstatas, que não se convertem de sua má conduta e não voltam seus olhos impenitentes para Deus, pelo anúncio do “Dies Irae.”

Se bem que as Mensagens contidas no Apostolado dos Sagrados Corações Unidos de Jesus e Maria oferecem referências sobre possíveis eventos futuros, estes não se anunciam para despertar a curiosidade. Mas para calar a urgência de colaborar com Deus no seu desígnio salvífico.

Não é de estranhar que os Chamados de Amor e de Conversão são o último repicar das Mensagens dadas pelo Céu, em La Salette, Fátima, Garabandal, Akita, Cuapa, Civitavecchia, etc., recrutando os Apóstolos dos Últimos Tempos para batalha final, da Mulher Vestida de Sol contra o Grande Dragão.

Como Diretor Espiritual de Manuel de Jesus manifesto que os Chamados de Amor e de Conversão sintonizam com a Doutrina Revelada, e concordam com a interpretação que o Magistério vivo da Igreja Católica faz de dita doutrina.

O Beato Paulo VI aprovou um Decreto da Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé (AAS, 58, No. 16, de 1966/12/29), aprovando a publicação de escritos desta índole, que não contradizem ou ponham em perigo a Fé e o Dogma da Santa Mãe Igreja Católica, à qual, de boa vontade e rendidamente, nos submetemos.


Padre Pablo García Beck

Valência, Espanha 12 de julho de 2016.

Vigésimo Segundo aniversário do Nascimento de Jesus Manuel

 

Share This:

%d blogueiros gostam disto: