Pentecostes 2018

 P E N T E C O S T E S

Fonte da Imagem:  Holy Angels Catholic Church

 

++++++++++++++++

Maria em Pentecostes

++++++++++++++++

 

Texto Abaixo Extraído da Liturgia das Horas (Breviário) – Oficio de Leituras

Fonte da matéria: iBreviary Pro Terra Santa

++++++++++++++++

PRIMEIRA LEITURA

Da Epístola do Apóstolo São Paulo aos Romanos 8, 5-27

Os que são conduzidos pelo Espírito de Deus
são filhos de Deus

Irmãos: Os que vivem segundo a carne desejam o que é carnal; os que vivem segundo o espírito desejam o que é espiritual.

Os desejos da carne conduzem à morte, ao passo que os desejos do espírito conduzem à vida e à paz.

Na verdade, os desejos da carne são revolta contra Deus, pois não se submetem nem podem submeter-se à lei de Deus.

Os que vivem segundo a carne não podem agradar a Deus.

Vós não estais sob o domínio da carne mas do espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Mas se alguém não tem o Espírito de Cristo, não Lhe pertence. Se Cristo está em vós, embora o vosso corpo seja mortal por causa do pecado, o espírito permanece vivo por causa da justiça.

E se o Espírito d’Aquele que ressuscitou Jesus de entre os mortos habita em vós, Ele que ressuscitou Cristo Jesus de entre os mortos, também dará vida aos vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que habita em vós. Assim, irmãos, já não somos devedores à carne para vivermos segundo a carne.

Se viverdes segundo a carne, morrereis; mas se pelo Espírito fizerdes morrer as obras da carne, vivereis. Porque todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Vós não recebestes um espírito de escravidão para recair no temor, mas o Espírito de adopção filial pelo qual exclamamos: «Aba, Pai». O próprio Espírito Santo dá testemunho, em união com o nosso espírito, de que somos herdeiros de Deus e herdeiros com Cristo; se sofrermos com Ele, também com Ele seremos glorifi cados.

Eu penso que os sofrimentos do tempo presente não têm comparação com a glória que se há-de manifestar em nós. Na verdade, as criaturas esperam ansiosamente a revelação dos filhos de Deus. Elas estão sujeitas à vã situação do mundo, não por sua vontade, mas por vontade d’Aquele que as submeteu, com a esperança de que as mesmas criaturas sejam também libertadas da corrupção que escraviza, para receberem a gloriosa liberdade dos filhos de Deus.

Sabemos que toda a criatura geme ainda agora e sofre as dores da maternidade. E não só ela, mas também nós que possuímos as primícias do Espírito, gememos interiormente, esperando a adopção filial e a libertação do nosso corpo.

É em esperança que estamos salvos, pois ver o que se espera não é esperança. Quem espera o que já vê? Mas esperar o que não vemos é esperar com perseverança. Também o Espírito vem em auxílio da nossa fraqueza, porque não sabemos o que pedir nas nossas orações; mas o Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis. E Aquele que vê no íntimo dos corações conhece as aspirações do Espírito, pois é em conformidade com Deus que o Espírito intercede pelos cristãos.

++++++++++

SEGUNDA LEITURA

Do Tratado de Santo Irineu, Bispo, «Contra as heresias»
(Lib. 3, 17, 1-3: SC 34, 302-306) (Sec. II)

A vinda do Espírito Santo

O Senhor disse aos discípulos: Ide, ensinai todos os povos, baptizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Com este mandato, o Senhor dava-lhes o poder de regenerar os homens em Deus.

Pelos Profetas tinha Deus prometido que nos últimos tempos derramaria o seu Espírito sobre os seus servos e servas, para que recebessem o dom da profecia. Por isso desceu o Espírito Santo sobre o Filho de Deus, que Se fez Filho do homem, habituando-Se com Ele a morar entre o género humano, a repousar sobre os homens e a habitar na criatura de Deus. Assim renovava os homens segundo a vontade do Pai, fazendo-os passar da sua antiga condição à vida nova de Cristo.

São Lucas diz que este Espírito, depois da ascensão do Senhor, desceu sobre os discípulos no dia de Pentecostes, com o poder de dar a vida nova a todos os povos e de os fazer participar na Nova Aliança; por isso se uniram naquele dia todas as línguas no mesmo louvor de Deus, enquanto o Espírito congregava na unidade as tribos mais distantes e oferecia ao Pai as primícias de todas as nações O Senhor tinha prometido enviar-nos o Paráclito, que nos havia de preparar para receber a Deus.

Assim como a farinha seca, sem a água, não se pode amassar para fazer um só pão, também nós, que somos muitos, não podíamos transformar-nos num só Corpo, em Cristo Jesus, sem a água que vem do Céu. E assim como a terra árida não dá fruto se não for regada, também nós, que éramos antes como uma árvore ressequida, nunca daríamos frutos de vida sem a chuva da graça que desce do alto.

De fato, os nossos corpos receberam pela água do Batismo aquela unidade que os leva à incorrupção, e as nossas almas receberam-na pelo Espírito. O Espírito de Deus desceu sobre o Senhor como Espírito de sabedoria e de inteligência, Espírito de conselho e de fortaleza, Espírito de ciência e de piedade, Espírito do temor de Deus.

E é este mesmo Espírito que o Senhor por sua vez deu à Igreja, enviando lá do Céu o Paráclito sobre toda a terra, do Céu, de onde também Satanás fora precipitado como um relâmpago, segundo a palavra do Senhor.

Por isso temos necessidade deste orvalho de Deus, para que dêmos fruto e não sejamos lançados ao fogo, e para que tenhamos também um Advogado onde temos um acusador.

Efectivamente, o Senhor encomenda ao Espírito Santo o cuidado da sua criatura, daquele homem que caíra nas mãos dos ladrões e a quem Ele, cheio de compaixão, vendou as feridas, entregando dois denários reais, para que nós, recebendo pelo Espírito a imagem e inscrição do Pai e do Filho, façamos frutificar esse denário que nos foi confiado e o restituamos com bons rendimentos ao Senhor.

RESPONSÓRIO Actos 2, 1-2

R. Ao chegar o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar, * E receberam o Espírito Santo, Aleluia.
V. De repente, fez-se ouvir do céu uma forte rajada de vento que encheu toda a casa. * E receberam o Espírito Santo. Aleluia.

Hino Te Deum

Nós Vos louvamos, ó Deus, *
   nós Vos bendizemos, Senhor.
Toda a terra Vos adora, *
   Pai eterno e omnipotente.

Os Anjos, os Céus e todas as Potestades, *
   os Querubins e os Serafins Vos aclamam sem cessar:
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus do universo, *
   o céu e a terra proclamam a vossa glória.

O coro glorioso dos Apóstolos, *
   a falange venerável dos Profetas,
o exército resplandecente dos Mártires *
   cantam os vossos louvores.

A santa Igreja anuncia por toda a terra *
   a glória do vosso nome:
Deus de infinita majestade, *
   Pai, Filho e Espírito Santo.

Senhor Jesus Cristo, Rei da glória, *
   Filho do Eterno Pai,
para salvar o homem, tomastes a condição humana *
   no seio da Virgem Maria.

Vós despedaçastes as cadeias da morte *
   e abristes as portas do Céu.
Vós estais sentado à direita de Deus, na glória do Pai, *
   e de novo haveis de vir para julgar os vivos e os mortos.

Socorrei os vossos servos, Senhor, *
   que remistes com o vosso Sangue precioso;
e recebei-os na luz da glória, *
   na assembleia dos vossos Santos.

¶ Salvai o vosso povo, Senhor, *
   e abençoai a vossa herança;
sede o seu pastor e guia através dos tempos *
   e conduzi-os às fontes da vida eterna.

Nós Vos bendiremos todos os dias da nossa vida *
   e louvaremos para sempre o vosso nome.
Dignai-Vos, Senhor, neste dia, livrar-nos do pecado.
   Tende piedade de nós, Senhor, tende piedade de nós.

Desça sobre nós a vossa misericórdia, *
   porque em Vós esperamos.
Em Vós espero, meu Deus, *
   não serei confundido eternamente

++++++++++++++

Share This:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.