Ano de São José

1/2 – Meditação de Manoel de Jesus – Para a Grande Quaresma Josefina – 44 Dias Em Homenagem Ao Casto E Amante Coração De São José – De 19 de março (Solenidade do Casto e Amante Coração de São José) A 1º de maio (Solenidade de São José Operário)

“Ide a José!”

“Na antiguidade, dizia-se a todos os necessitados e as pessoas do reino do Egito que sofriam: ‘Ide a José! e façais tudo o que ele lhes disser.”(Gênesis 41, 55).

Da mesma forma, o soberano Pontífice disse a todos os que estão em necessidade e a todos os que sofrem no Reino da Igreja: “Ide a José!”

Tudo o que verdadeiramente se diz do primeiro José, no que se refere ao seu futuro, como sua bondade, sua castidade, sua paciência, sua sabedoria, sua influência sobre o rei, seu poder sobre o povo e seu amor por seus semelhantes, é verificado de uma forma muito mais perfeita e ainda hoje.

No segundo José, o Casto e Amante Coração, é preciso saber descobri-lo. Porque ele permanece discretamente escondido e sabiamente silencioso na sua obediência.

O Apostolado dos Sagrados Corações Unidos foi chamado a realizar a Consagração a São José.

A instrução ao instrumento foi de iniciá-la no dia 19 de março, Solenidade de São José, para concluí-la em 1º de maio, na celebração de São José de Trabalhador.

É praticamente, uma Quaresma Josefina.

Vamos viver o Segundo Mistério da Coroa da Perfeição: entrar e habitar na Aposento do Casto e Amante Coração de São José por 44 dias, refletindo sobre o Evangelho diário, em seus Chamados de Amor e Conversão e copiar seus passos, seguindo-o no “Caminho Josefino”: humildade, silêncio, obediência e entrega à Vontade Divina.

São José na vida e história da Igreja

A tradição do culto a San José remonta ao início do século IV, quando o culto a San José já começava a surgir entre os coptas (egípcios de fé cristã), com sua festa ocorrendo em 20 de julho do calendário copta.

No mundo ocidental as primeiras referências ao seu culto surgem no ano de 1129, onde se encontra em Bolonha (Itália) uma Igreja dedicada ao seu nome.

Os Padres Carmelitas foram os primeiros a transferir seu culto do Oriente para o Ocidente, aparecendo então no calendário dominicano, se espalhando.

No pontificado de Xisto IV, São José foi inserido no calendário romano, que é o que chegou até nossos dias, no dia 19 de março.

Isso foi fundamental. E a partir daquele momento, tornou-se uma festa simples, passando a festa dupla por Inocêncio VIII e festa dupla de segunda classe para Clemente XI.

Por fim, Pio IX nomeou-o Padroeiro da Igreja Católica, com um decreto apostólico de 10 de setembro de 1847, e estendeu a festa do Patrocínio de São José à toda a Igreja Universal.

Caso a festa caia na Páscoa, passa para o sábado anterior.

O Papa Pio IX não se deteve por aí. No discurso por ocasião da canonização dos Santos Mártires do Japão, ao implorar a ajuda divina, depois de invocar a Virgem Maria, e antes de invocar os apóstolos Pedro e Paulo, pela primeira vez no história da Igreja, o Pai São José é invocado.

Em 8 de dezembro de 1870, o Papa Pio IX ordenou que esta celebração fosse celebrada em toda a igreja, como uma festa dupla de primeira classe.

O mês de março, em sua totalidade, é considerado o mês de São José, e, além disso, há o costume piedoso de dedicar as quartas-feiras de cada semana em sua homenagem.

O Papa Pio XII em 1955, instituiu a festa de São José Labrador no dia 1 de maio, data escolhida para coincidir com a data do Dia do Trabalho, que se observa em muitos países, a fim dessa maneira, elevar e santificar essa observância.

Há uma solenidade dos esponsais de São José e da Virgem Maria, que é celebrada em 23 de janeiro.

Papa Francisco convoca para um “Ano de São José”, com a Carta Apostólica Patris corde (Com Coração de Pai). O Pontífice comemora o 150º aniversário da declaração de São José Padroeiro da Igreja Universal, e, por motivo desta ocasião, a partir de 8 de dezembro de 2020 até 8 de dezembro de 2021, se celebrará um ano dedicado especialmente a ele. 

Indulgencia plenária para o “Ano de São José”

Junto com a publicação da Carta Apostólica Patris Corde, foi publicado o Decreto da Penitenciaria Apostólica, que anuncia o “Ano de São José” convocado pelo Papa, e a relativa concessão do “dom das indulgências especiais”.

São dadas indicações específicas para os dias tradicionalmente dedicados à memória do Esposo de Maria, como 19 de março e 1º de maio, e para os enfermos e idosos “no contexto atual da emergência sanitária”.

O Casto e Amante Coração de São José e os Últimos Tempos

Isidoro de Isolanis, um piedoso dominicano do século XVI, profetizou “que o som da vitória” será ouvido na igreja militante “quando os fiéis reconhecerem a santidade de São José”. [1]

E continua: “o Senhor fará que sua Luz brilhe. Ele levantará o véu. Os grandes homens buscarão os dons interiores de Deus, que estão escondidos em São José. Verão nele um tesouro incomparável como aquele que nunca foi encontrado em outro santo do Antigo Testamento. “

Estamos inclinados a acreditar que no final dos Últimos Tempos, Deus mostrará os atributos de São José com honras gloriosas.

Em tempos passados, durante as tormentas da perseguição, essas honras não foram mostradas a São José. Portanto, deve-se concluir que estão reservadas para os Últimos Tempos.

“Em um tempo futuro, a solenidade de São José será celebrada como uma das maiores festas”. O Vigário de Cristo, inspirado pelo Espírito Santo, mandará esta festa a ser celebrada na Igreja universal.

Esta profecia desse Monge, da Ordem dos Pregadores, se cumpriu. Pois nosso silencioso Patrono e Protetor iniciou isso, seu Caminho Josefino dos Últimos Tempos.

[1] – Frei Isidoro Solano OP Suma-de-los-dones-de-San-Jose-pdf

 

SÃO JOSÉ EM FÁTIMA

De: ‘Fátima, nas próprias palavras de Lúcia’, pág. 178-180 ([1]):

13 de setembro de 1917.

“Continuai rezando o Rosário, para alcançar o fim da guerra. Em outubro virão também, Nosso Senhor, Nossa Senhora das Dores e do Carmo e São José, com o Menino Jesus para abençoar o mundo.”

Dia 13 de outubro de 1917.

Desaparecida Nossa Senhora na imensidão do firmamento, vimos ao lado do sol, a São José, com o Menino, e Nossa Senhora, vestida de branco, com um manto azul. São José com o Menino pareciam abençoar o mundo, com uns gestos que faziam com a mão em forma de cruz.

Pouco depois, desvanecida esta aparição, vimos Nosso Senhor e a Nossa Senhora, que me dava ideia de ser Nossa Senhora das Dores. Nosso Senhor parecia abençoar o mundo da mesma forma que São José.

Al desvanecer-se esta aparição, me pareceu ver ainda a Nossa Senhora, em forma parecida a Nossa Senhora do Carmo.

Por primeira vez na história, encontramos São José consistentemente manifestando-se a um instrumento e revelando seu papel no plano de corredenção. Guiando ao exército de Maria, e acompanhando-a na missão.

Por primeira vez, temos acessível uma Devoção ao Casto e Amante Coração de nosso Pai São José, de origem divina.

E finalmente, se cumpre a profecia de Isidoro Isolanis, a qual convidamos a ler e meditar cuidadosamente neste Ano Jubilar do Casto e Amante Coração de São José, quem se nos apresenta, brilhando como o Santo dos Santos, com seu Manto dourado, mostrando todo seu Amor, Castidade, Obediência, Humildade, e, sua própria vontade, dobrada à Divina, tal como o fez durante sua vida terrena.

Do mesmo modo, no Apostolado dos Sagrados Corações Unidos de Jesus e de Maria, o Caminho Josefino que nosso Pai São José começou em Fátima, em 13 de outubro de 1917, o concluirá plenamente, como o Casto e Amante Coração de São José, com seus Chamados de Amor e de Conversão, com o Cenáculo de Oração em honra a suas sete Dores e Gozos, com o Ícone do Casto e Amante Coração de São José e o Azeite de Lírios de Seu Coração Paternal.

Por isso o Apostolado, com todo o coração, vive e pratica este Caminho Josefino dos Últimos Tempos, esta Grande Quaresma Josefina, este “ir a José” para chegar a Maria, e com Seus Santos Corações, ao Sagrado Coração Eucarístico de Jesus.

Fiat.

[1] – Memórias da Irmã Lúcia – Volume 1 – Compilação do Pe. Luis Kondor, SVD

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: