Dias Litúrgicos

Domingo da Santíssima Trindade, 30 de maio de 2021- “Os três em uma perfeita comunhão”

Santissima-Trindade

DA COORDENAÇÃO MUNDIAL DESTE APOSTOLADO

Domingo da Santíssima Trindade, 30 de maio de 2021

“Os três em uma perfeita comunhão”

PDF – Português

PDF – Español

A doutrina da Santíssima Trindade, como mistério cheio de significado, é alimento para quem se preocupa por viver a vida da Santíssima Trindade.

Mas também é uma fonte de confusão e perda, para aqueles que desejam ter uma conclusão lógica de que 1 + 1 + 1 = 1.

Deus não se revela às suas criaturas somente com a ciência matemática, dentro da margem do entendimento que Ele permitiu à criatura, até agora, não basta essa compreensão para poder ver, viver e conhecer o nosso Deus.

A revelação de Deus é sua auto comunicação com suas criaturas, a comunicação de seu amor. Esta revelação se manifesta em três momentos idênticos: na criação, na redenção e na santificação da criação.

Momentos que revelam a perfeição concreta de Deus Trino. Mas a identidade deste Deus não pretende ser um quebra-cabeça matemático nem uma análise filosófica dedutiva e indutiva.

É um mistério de um Deus perfeito, uma unidade perfeita, um amor perfeito e comunhão de três Pessoas indivisas em um Deus.

Um só Deus em três Pessoas: o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

A Igreja dedica o domingo seguinte depois de Pentecostes à celebração do dia da Santíssima Trindade.

Um mistério é tudo o que não podemos compreender com a razão. É algo que só podemos compreender quando Deus nos revela.

O mistério da Santíssima Trindade

Um só Deus em três Pessoas distintas é o mistério central da fé e da vida cristã, pois é o mistério de Deus em Si mesmo.

Ainda que seja um dogma difícil de entender, foi o primeiro que os apóstolos entenderam. Depois da ressurreição, eles compreenderam que Jesus era o Salvador enviado pelo Pai.

E, quando experimentaram a ação do Espírito Santo dentro de seus corações em Pentecostes, compreenderam que o único Deus era Pai, Filho e Espírito Santo.

Os católicos acreditam que a Trindade é Una. Não acreditamos em três deuses, mas em um único Deus em três Pessoas distintas. Não é que Deus esteja dividido em três, pois cada uma das três Pessoas é inteiramente Deus.

Natureza

Pai, Filho e Espírito Santo têm a mesma natureza, a mesma divindade, a mesma eternidade, o mesmo poder, a mesma perfeição. São um só Deus. Além disso, sabemos que cada uma das Pessoas da Santíssima Trindade está totalmente contida nas outras duas. Pois há uma comunhão perfeita entre elas.

No entanto, as pessoas da Santíssima Trindade são distintas entre si, dada a diversidade da sua missão:

1 – Deus Filho -para quem são todas as coisas – é enviado por Deus Pai, ele é nosso Salvador.

2 – Deus Espírito Santo – em quem são todas as coisas – é o enviado pelo Pai e do Filho, é o nosso Santificador.

3 – Deus Pai – o vemos claramente na Criação, na Encarnação e em Pentecostes.

Na Criação, Deus Pai está como princípio de tudo o que existe.

Na Encarnação, Deus se encarna, por amor a nós, em Jesus, para nos libertar do pecado e levar-nos à vida eterna.

Em Pentecostes, o Pai e o Filho estão presentes na vida do homem na Pessoa do Espírito Santo, cuja missão é santificar-nos, iluminando-nos e ajudando-nos com os seus dons para alcançar a vida eterna.

Símbolos da Santíssima Trindade

Para explicar este grande mistério, existem certos símbolos que são compreensíveis à nossa razão: A Santíssima Trindade é simbolizada como um triângulo.

Cada um dos vértices é parte do mesmo triângulo e ainda assim cada um é diferente

Também podemos simbolizar a Santíssima Trindade como uma vela acesa. A vela em si mesma simboliza o Pai. A cera que escorre é o Filho, que procede do Pai, e a chama acesa é o Espirito Santo. Os três são “vela’. Mas são distintos entre si. Há os que simbolizam a Santíssima Trindade em forma de trevo. Cada uma das folhas é “trevo”. Mas são distintas entre si.

Existem multiplicidade de simbolismos, nos quais nossa Igreja Católica é muito rica.

O sinal da Cruz

Que fazemos ao persignar-nos? “Em Nome do Pai, e do Filho, e do Espirito Santo”. É costume dos católicos repetir frequentemente estas palavras, principalmente no principio e no fim de nossas orações.

Cada vez que fazemos o Sinal da Cruz sobre nosso corpo, recordamos o mistério da Santíssima Trindade.

– Em Nome do Pai: colocamos a mão sobre a testa, sinalando o cérebro, que controla todo nosso corpo, recordando em forma simbólica que Deus é a fonte de nossa vida.

– … e do Filho: Colocamos a mão no peito, onde está o coração, que simboliza o amor. Recordamos com isto que, por amor aos homens, Jesus Cristo se encarnou, morreu e ressuscitou para livrar-nos do pecado e levar-nos à vida eterna.

– … E do Espirito Santo: colocamos a mão no ombro esquerdo e logo no direito, recordando que o Espirito Santo nos ajuda a carregar com o peso de nossa vida, o que os ilumina e nos dá a graça para viver de acordo com os mandatos de Jesus Cristo.

Algumas pessoas argumentam que não é verdade, porque não podemos entender o mistério da Santíssima Trindade através da razão. Isto é certo. Não podemos entende-lo só com a razão. Necessitamos da fé, já que se trata de um mistério. É um belo mistério, no qual Deus nos envia seu Filho para salvar-nos.

**********************

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: