Chamado de Amor de Maria

26.03.2022 – Coração Doloroso e Imaculado de Maria: “Suplicamos ao Pai um tempo de misericórdia, e o Pai no-lo deu, enviando-nos à dar estes Últimos Chamados de Amor e de Conversão.”

NSenhora-de-pe-mais-clara-menor

26 de março de 2022  – CHAMADO DE AMOR E CONVERSÃO DO CORAÇÃO DOLOROSO E IMACULADO DE MARIA

 

Audio da Mensagem – Voz de Manoel de Jesus:

 

Louvado seja o Sagrado Coração Eucarístico de Jesus!

Querido filho:

O Divino Espirito Santo e meu Coração de Mãe te chamamos, para que sejas arauto de Nossos Sagrados Corações Unidos, e dar aos meus filhos os Últimos Chamados de Amor e de Conversão, como um guia maternal, para que meus filhos retornem a Jesus e a Igreja, e também, vivam a Aliança de Nossos Dois Sagrados Corações, como primícias do Triunfo e Reinado da Mulher Vestida de Sol e do Cordeiro de Deus.

Queridos filhos: deem graças ao Pai Terno e Misericordioso pelo dom de minha presença entre vocês.

Junto a meu Filho Jesus, pedimos ao Pai que nos permitisse transmitir os últimos avisos, para que as almas não se perdessem. Os Chamados de Amor e Conversão de Nossos Sagrados Corações Unidos, foram a resposta que o Pai Eterno deu às nossas súplicas.

Deem graças pelo dom de Nossos Sagrados Corações. Deem graças pelo dom destes Últimos Chamados. Deem graças ao Pai, por permitir que o Sagrado Coração Eucarístico de meu Filho Jesus e meu Doloroso e Imaculado Coração, se manifestassem para guia-los ao Reino do Coração de meu Filho.

Suplicamos ao Pai um tempo de misericórdia, e o Pai no-lo deu, enviando-nos à dar estes Últimos Chamados de Amor e de Conversão.

Orem e meditem em nossos Chamados de Amor, e compreendam a urgência destes últimos avisos à conversão.

Meditem no Capítulo 40 do livro de Gênesis.

Com meu Doloroso e Imaculado Coração, a coroa de todas as manifestações, de Mim, sua Mãe, abençoo-os.

Em Nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.

 

Capítulo 40 do Livro do Gênesis – Bíblia de Jeerusalém

José interpreta os sonhos dos oficiais do Faraó

— 1 Sucedeu, depois desses acontecimentos, que o copeiro do rei do Egito e seu padeiro ofenderam a seu senhor, o rei do Egito. 2 Faraó irou-se contra seus dois eunucos, o copeiro-mor e o padeiro-mor, 3 e mandou detê-los na casa do comandante dos guardas, na prisão onde José estava detido. 4  O comandante dos guardas agregou-lhes José para que os servisse, e ficaram certo tempo detidos. 5 Ora, numa mesma noite, os dois, o copeiro e o padeiro do rei do Egito, que estavam detidos na prisão, tiveram um sonho, cada qual com a sua significação. 6 De manhã, vindo encontrá-los, José percebeu que estavam acabrunhados 7 e perguntou aos eunucos do Faraó que estavam com ele detidos na casa de seu senhor: “Por que tendes hoje o rosto triste?” 8 Eles lhe responderam: “Tivemos um sonho e não há ninguém para interpretá-lo.” José lhes disse: “É Deus quem dá a interpretação; mas contai-mo!” 9 O copeiro-mor narrou a José o sonho que tivera: “Sonhei,” disse ele, “que havia diante de mim uma videira, 10 e na videira três ramos: deram brotos, floresceram e as uvas amadureceram em cachos. 11 Eu tinha na mão a taça do Faraó: peguei os cachos de uva, espremi-os na taça do Faraó e coloquei a taça na mão do Faraó.” 12 José lhe disse: “Eis o que isto significa: os três ramos representam três dias. 13 Mais três dias e o Faraó te erguerá a cabeça e te restituirá o emprego: colocarás a taça do Faraó em sua mão, como outrora tinhas o costume de fazer, quando eras seu copeiro. 14 Lembra-te de mim, quando te suceder o bem, e sejas bondoso para falares de mim ao Faraó, a fim de que me faça sair desta prisão. 15 Com efeito, fui arrebatado da terra dos hebreus e aqui mesmo nada fiz para que me pudessem prender.” 16 O padeiro-mor viu que era uma interpretação favorável e disse a José: “Eu também tive um sonho: havia três cestas de bolos sobre a minha cabeça. 17 Na cesta mais alta havia todos os tipos de doces que o Faraó come, mas as aves os comiam na cesta, sobre a minha cabeça.” 18 José respondeu assim: “Eis o que isto significa: as três cestas representam três dias. 19 Mais três dias ainda e o Faraó te erguerá a cabeça, enforcar-te-á e as aves comerão a carne acima de ti.” 20 Efetivamente, no terceiro dia, que era o aniversário do Faraó, este deu um banquete a todos os seus oficiais e soltou o copeiro-mor e o padeiro-mor no meio de seus oficiais. 21 Ele reabilitou o copeiro-mor na copa real e este colocou a taça na mão do Faraó; 22 quanto ao padeiro-mor, enforcou-o, como José lhe havia explicado. 23 Mas o copeiro-mor não se lembrou de José; ele o esqueceu.

 

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: