Chamado de Amor de Deus Pai Terno e Misericordioso

27.03.2022 – Deus Pai Terno e Misericordioso: “Os Chamados são os gritos de dor de minha Filha Imaculada; gritos que são súplicas, para que a humanidade se arrependa e se converta; e do Sagrado Coração Eucarístico de Jesus, que é o Cordeiro que está sentado junto do Pai no Trono.”

Deus-Pai-Terno-Misericordioso-29.07.2021-pt

27 de março de 2022 – CHAMADO DE AMOR E CONVERSÃO DE DEUS PAI TERNO E MISERICORDIOSO

 

Áudio da Mensagem – Voz de Manoel de  Jesus:

 

Meus queridos filhos!

Estão vivendo o grande tempo das minhas Duas Testemunhas: 

O Doloroso e Imaculado Coração de Maria, que é a Mulher Vestida de Sol, e com suas dores de parto, clama aos corações de seus filhos com os Chamados de Amor e Conversão.

Os Chamados são os gritos de dor de minha Filha Imaculada; gritos que são súplicas, para que a humanidade se arrependa e se converta; e do Sagrado Coração Eucarístico de Jesus, que é o Cordeiro que está sentado junto do Pai no Trono.

Os dois Corações pediram misericórdia. Vieram ao encontro das minhas criaturas, para dar estes últimos avisos de amor, para a conversão.

Filhos meus: compreendam como é importante ouvir com o coração os Chamados das minhas Duas Testemunhas.

Seu Pai Terno e Misericordioso os abençoa.

Meditem e orem com o Capítulo 41 do livro de Gênesis.

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém. 

 

Capítulo 41 do livro de Gênesis – Bíblia de Jerusalém

Os sonhos do Faraó

— 1 Dois anos depois sucedeu que o Faraó teve um sonho: ele estava de pé junto ao Nilo 2 e viu subir do Nilo sete vacas de bela aparência e bem cevadas, que pastavam nos juncos. 3 E eis que atrás delas subiram do Nilo outras sete vacas, de aparência feia e mal alimentadas, e se alinharam ao lado das primeiras, na margem do Nilo. 4 E as vacas de aparência feia e mal alimentadas devoraram as sete vacas bem cevadas e belas de aparência. Então o Faraó acordou. 5 Ele tornou a dormir e teve um segundo sonho: sete espigas subiam de uma mesma haste, granadas e belas. 6  Mas eis que sete espigas mirradas e queimadas pelo vento oriental nasciam atrás delas. 7 E as espigas mirradas devoraram as sete espigas granadas e cheias. Então o Faraó acordou: era um sonho! 8 De manhã, com o espírito conturbado, o Faraó chamou todos os magos e todos os sábios do Egito e lhes contou o sonho que tivera, mas ninguém pôde explicá-lo ao Faraó. 9 Então o copeiro-mor dirigiu a palavra ao Faraó e disse: “Devo confessar hoje minhas faltas! 10 O Faraó se irritara contra seus servos e os mandara prender na casa do comandante dos guardas, eu e o padeiro-mor. 11 Tivemos um sonho, ele e eu, na mesma noite, mas a significação do sonho era diferente para cada um. 12 Havia ali conosco um jovem hebreu, um escravo do comandante dos guardas. Nós lhe contamos nossos sonhos e ele no-los interpretou: ele interpretou o sonho de cada um. 13 E exatamente como ele nos explicara, assim aconteceu: eu fui restituído em meu emprego e o outro foi enforcado.” 14 Então o Faraó mandou chamar José, e depressa ele foi trazido da prisão. Ele se barbeou, mudou de roupa e se apresentou diante do Faraó. 15  O Faraó disse a José: “Eu tive um sonho e ninguém pode interpretá-lo. Mas ouvi dizer de ti que quando ouves um sonho podes interpretá-lo.” 16 José respondeu ao Faraó: “Quem sou eu! É Deus quem dará ao Faraó uma resposta favorável.” 17 Então o Faraó falou assim a José: “Em meu sonho, parecia-me que estava de pé na margem do Nilo. 18 Eis que subiram do Nilo sete vacas bem cevadas e de bela aparência, que pastavam nos juncos. 19 Mas eis que outras sete subiram depois delas, extenuadas, de aparência feia e mal alimentadas, jamais vi tão feias em toda a terra do Egito. 20 As vacas magras e feias devoraram as sete primeiras, as vacas gordas. 21 E depois que as devoraram, não demonstravam tê-las devorado, porque sua aparência permanecia tão feia quanto no início. Então acordei. 22 Depois vi em sonho sete espigas subindo de uma mesma haste, cheias e belas. 23 Mas eis que sete espigas secas, mirradas e queimadas pelo vento oriental, nasceram depois delas. 24 E as espigas mirradas devoraram as sete espigas belas. Eu narrei isso aos magos, mas não há ninguém que me dê a resposta.” 25 José disse ao Faraó: “O Faraó teve apenas um sonho: Deus anunciou ao Faraó o que ele vai realizar. 26 As sete vacas belas representam sete anos e as sete espigas belas representam sete anos, é um só e mesmo sonho. 27 As sete vacas magras e feias que sobem em seguida representam sete anos e também as sete espigas mirradas e queimadas pelo vento oriental: é que haverá sete anos de fome. 28 É como eu disse ao Faraó; Deus mostrou ao faraó o que vai realizar: 29 eis que vêm sete anos em que haverá grande abundância em toda a terra do Egito; 30 depois lhes sucederão sete anos de fome, e se esquecerá toda a abundância na terra do Egito; a fome esgotará a terra, 31 e não mais se saberá o que era a abundância na terra, em face dessa fome que se seguirá, pois ela será duríssima. 32 E se o sonho do Faraó se repetiu mais duas vezes, é porque o fato está bem decidido da parte de Deus e Deus tem pressa em realizá-lo. 33 “Agora, que o Faraó escolha um homem inteligente e sábio e o estabeleça sobre a terra do Egito. 34 Que o Faraó aja e institua funcionários na terra, tome a quinta parte dos produtos da terra do Egito durante os sete anos de abundância, 35 e eles reúnam todos os víveres desses bons anos que vêm, armazenem o trigo sob a autoridade do Faraó, coloquem os víveres nas cidades e os guardem. 36 Esses víveres servirão de reserva à terra para os sete anos de fome que se abaterão sobre a terra do Egito, e a terra não será exterminada pela fome.”

Exaltação de José

— 37 O conselho agradou ao Faraó e a todos os seus oficiais 38 e o Faraó disse a seus oficiais: “Encontraremos um homem como este, em quem esteja o espírito de Deus?” 39  Então o Faraó disse a José: “Visto que Deus te fez saber tudo isso, não há ninguém tão inteligente e sábio como tu. 40 Tu serás o administrador do meu palácio e todo o meu povo se conformará às tuas ordens, só no trono te precederei.” 41 O Faraó disse a José: “Vê: eu te estabeleço sobre toda a terra do Egito,” 42 e o Faraó tirou o anel de sua mão e o colocou na mão de José, e o revestiu com vestes de linho fino e lhe pôs no pescoço o colar de ouro. 43 Ele o fez subir sobre o melhor carro que havia depois do seu, e gritava-se diante dele “Abrec.” Assim foi ele preposto a toda a terra do Egito. 44 O Faraó disse a José: “Eu sou o Faraó, mas sem tua permissão ninguém erguerá a mão ou o pé em toda a terra do Egito.” 45 E o Faraó impôs a José o nome de Safanet-Fanec, e lhe deu como mulher Asenet, filha de Putifar, sacerdote de On. E José saiu a percorrer o Egito. 46 José tinha trinta anos quando se apresentou diante do Faraó, rei do Egito, e José deixou a presença do Faraó e percorreu toda a terra do Egito. 47 Durante os sete anos de abundância a terra produziu copiosamente 48 e ele reuniu todos os víveres dos sete anos em que houve abundância na terra do Egito e depositou os víveres nas cidades, colocando em cada cidade os víveres dos campos vizinhos. 49 José armazenou o trigo como a areia do mar, em tal quantidade que se renunciou a medi-lo, pois isso ultrapassava toda medida. 

Os filhos de José

— 50 Antes que viesse o ano da fome, nasceram a José dois filhos que lhe deu Asenet, filha de Putifar, sacerdote de On. 51 José deu ao mais velho o nome de Manassés, “pois”, disse ele, “Deus me fez esquecer meus trabalhos e toda a família de meu pai.” 52 Quanto ao segundo ele o chamou de Efraim, “porque,” disse ele, “Deus me tornou fecundo na terra de minha infelicidade.” 53 Chegaram ao fim os sete anos de abundância que houve na terra do Egito 54 e começaram a vir os sete anos de fome, como predissera José. Havia fome em todas as terras, mas havia pão em todas as regiões do Egito. 55 Depois toda a terra do Egito sofreu fome e o povo, com grandes gritos, pediu pão ao Faraó, mas o Faraó disse a todos os egípcios: “Ide a José e fazei o que ele vos disser.” 56 A fome assolava toda a terra. — Então José abriu todos os armazéns de trigo e vendeu mantimento aos egípcios. Agravou-se ainda mais a fome na terra do Egito. 57 De toda a terra se veio ao Egito para comprar mantimento com José, pois a fome se agravou por toda a terra.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: