Parte 1 – Setembro – Mês da Cruz Gloriosa e das Dores Corredentoras da Santíssima Virgem Maria

DIA 6

PARA CONHECER, REFLETIR, ENTENDER E VIVER!

Evangelho da Cruz, interpretado pelos Santos Padres na história da Igreja

Neste mês de setembro, dedicado a Cruz Gloriosa e às Dores Corredentoras da Santíssima Virgem Maria, já vimos nos vídeos anteriores:

– o que é o Apostolado dos Sagrados Corações Unidos de Jesus e Maria;

– a Cruz Gloriosa os Sagrados Corações Unidos de Jesus e de Maria;

– Os Sagrados Corações Unidos de Jesus e Maria e o Espirito da Cruz;

– os Apóstolos dos Sagrados Unidos de Jesus e Maria e a Espiritualidade da Cruz;

– Os Apóstolos da Cruz Gloriosa dos Sagrados Corações Unidos de Jesus e Maria.

No vídeo de hoje, vamos entrar no Evangelho da Cruz, interpretado pelos Santos Padres na história da Igreja, sobre a passagem do Evangelho de São Mateus capítulo 16, 24-25, onde o Senhor Jesus ensinou:

24Se alguém quer vir após de mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me.

Esta matéria foi extraída da obra intitulada Catena Aurea, de Santo Tomás de Aquino, onde este Doutor da Igreja, faz uma Exposição Contínua sobre os Evangelhos (Tomo 1, Evangelho de São Mateus, 1ª. Edição julho de 2018 – CEDET – São Paulo – Brasil – págs. 541-543).

São Tomás de Aquino organizou a Catena Aurea a pedido do Papa Urbano IV, no final de 1262 e início de 1263.

Chamado de Doutor Angélico e de Príncipe da Escolástica, Santo Tomás de Aquino foi canonizado em 1323 e proclamado Doutor da Igreja em 1567.

*************

Antes de iniciarmos o exame desta matéria, é preciso lembrar, que esta pregação dos Santos Padres, constitui-se no que se chama de Transmissão Viva da Igreja, pois o ensinamento dos Santos Padres testemunha a presença vivificante desta Tradição. (Catecismo78)

*********

Catena Aurea – LECTIO VI

Evangelho de São Mateus, capítulo 16, Versículos 24-25

Então Jesus disse aos seus discípulos:

24Se alguém quer vir após de mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. 25Porque o que quiser salvar a sua vida perdê-la-á; e o que perder a sua vida por amor de mim, a encontrará.”

*************

1 – Trecho da Homilia de São João Crisóstomo (Homiliae in Matthaeum, hom. 55, 1) – pág. 541)

“Depois de Pedro ter dito: Deus tal não permita, Senhor; não te sucederá isto (Mt 16, 22) e de ter ouvido: Retira-te de mim, Satanás! (Mt 16, 23), o Senhor não se contentou com esta repreensão, mas quis manifestar de forma superabundante, a inconveniência do que dissera Pedro, bem como o fruto de Sua Paixão.

Por isso é dito: Então Jesus disse aos seus discípulos: “Se alguém quer vir após de mim,negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”, o que equivale a dizer: “Tu me dizes: ‘Tem compaixão de ti’; pois eu te digo, que não só será prejudicial para ti impedir minha Paixão, como não poderás te salvar, a não ser que padeças e morras, e que renuncies sempre à tua vida”.

E vede como Suas palavras não são coativas, porque não disse: “mesmo que não queiras, deveis sofrer”, e sim “se alguém quer”.

Desta maneira, Ele os atrai mais, porque aquele que deixa seus ouvintes em liberdade atrai-os mais, ao passo que o uso da violência costuma atrapalhar.

Não propõe este dogma aos Seus discípulos somente, mas ao mundo inteiro. Dizendo ”Se alguém quer, isto é, se a mulher, se o varão, se o rei, se o homem livre, se o escravo, etc.

São três as coisas que menciona: negar-se a si mesmo, tomar Sua cruz e segui-Lo.”

*****************

2 – Trecho da Homilia de São Gregório Magno (Homiliae in Evangelia, 32,2 – pág. 542)

Porque, se não nega a si mesmo, um homem não pode se aproximar daquele que está acima de si.

Mas se abandonamos a nós mesmos, aonde iremos fora de nós? Ou quem é que se vai, se nos abandonamos?

De fato, decaídos pelo pecado, somos algo diverso do que éramos por natureza quando criados.

Nós nos abandonamos e negamos a nós mesmos quando evitamos o que fomos pelo homem velho e seguimos o chamado a sermos novos.

*****************

3 – Trecho da Homilia de São Gregório Magno (Homiliae in Hiezechihelem profetam, hom. 10)

Nega-se a si mesmo aquele que muda para melhor, começa a ser o que não era e deixa de ser o que era.

*****************

4 – Trecho da Homilia de São Gregório Magno (Moralia, 23)

Nega-se a si mesmo também aquele que, calcando sob os pés a imagem da soberba, apresenta-se ao olhar de Deus como hostil a si mesmo.

*****************

DIA 7

PARA CONHECER, REFLETIR, ENTENDER E VIVER!

Prosseguimento do Evangelho da Cruz, interpretado pelos Santos Padres na história da Igreja

5 – Trecho da Homilia de Orígenes

Mesmo que alguém pareça abster-se do pecado, se não crê na cruz de Cristo, não se pode dizer que está crucificado com Cristo. Por isso segue: tome a sua cruz.

6 – Trecho da Homilia de São João Crisóstomo (Homiliae in Matthaeum, hom. 55,1)

Ou, de outro modo: aquele que nega um outro, seja irmão, seja criado, ou o que quer que seja, e não o assiste quando o vê flagelado ou sofrendo qualquer outro tormento, não o ajuda.

O Senhor quer que deixemos de lado a indulgência com o nosso corpo de tal modo que, mesmo flagelado ou ferido da forma que for, não o poupemos. Porque isto é poupa-lo: assim como os pais poupam seus filhos, entregando-os ao mestre e mandando que ele não os poupe.

E para que não penseis que negar-se a si mesmo refere-se somente às palavras injuriosas e às afrontas, o Senhor manifesta até que ponto alguém deve negar-se a si mesmo, ou seja, até a morte mais vergonhosa: a morte de cruz.

É isto o que querem dizer as palavras tome a sua cruz e siga-me.

*****************

7 – Trecho da Homilia de Santo Hilário de Poitiers(In Matthaeum, 16)

Portanto, devemos seguir o Senhor tomando a cruz de Sua Paixão, se não realmente, ao menos acompanhando-o com a vontade.

*****************

8 – Trecho da Homilia de São João Crisóstomo (Homiliae in Matthaeum, hom. 55,2)

E como os ladrões também sofrem muito, para que não penses que é suficiente sofrer o mal, Ele explica a causa do sofrimento, dizendo: e siga-me. Para que por Ele suportes tudo e aprendas Suas outras virtudes. Pois isto é seguir a Cristo como convém: ser diligente nas virtudes e tudo sofrer por Sua causa.

*****************

9 – Trecho da Homilia de São Gregório Magno (Homiliae in Evangelia, 32,3)

Podemos tomar a cruz de duas maneiras: ou afligindo o corpo com a abstinência, ou afligindo a lama com a compaixão pelo próximo. Mas como nossas virtudes vem misturadas com os vícios, devemos considerar que às vezes a vanglória apodera-se da abstinência da carne, pois, pela magreza do corpo e a palidez do rosto, a virtude se expõe ao louvor. E também por fezes uma falsa piedade apodera-se da compaixão da alma, de modo que aquela que nos arrasta até mesmo a condescender com os vícios. A fim de excluir tudo isso, acrescenta  e siga-me.

*****************

10 – Trecho da Homilia de São Jerônimo

Ou, de outra maneira, toma a sua cruz aquele que está crucificado para o mundo, e, estando também o mundo crucificado para ele, segue o Senhor crucificado.

*****************

11 – Trecho da Homilia de São João Crisóstomo (Homiliae in Matthaeum, hom. 55,2)

Então, como parecia severo o que acabara de dizer, Ele o suaviza lembrando a imensidade do prêmio por nosso esforço e a punição dos maus. Segue: Porque o que quiser salvar a sua vida perdê-la-á.

*****************

12 – Trecho da Homilia de Orígenes (Homilia 2 in Matthaeum)

Podemos entender esta passagem de dois modos.

Primeiro: se alguém ama a vida presente e tenta salva-la, temendo morrer por pensar que, por esta morte, sua alma perecerá, este, querendo salvá-la, perdê-la-á, afastando-se da vida eterna. Se alguém despreza a vida presente e luta pela verdade até a morte, perderá sua alma quanto à vida presente; mas, como a perderá por Cristo, salvá-la-á quanto à vida eterna.

Segundo modo: se alguém, compreendendo o que é a verdadeira salvação e desejando obtê-la para a sua alma, nega-se a si mesmo e, por Cristo, perde sua alma quanto aos prazeres carnais, este, perdendo-a deste modo, salva-a pelas obras da piedade. Ao dizer “Porque o que quiser” o Senhor manifesta que o sentido da passagem anterior e da posterior é o mesmo. Se quando disse acima “negue-se a si mesmo” se referia à morte corporal, devemos entender, consequentemente, que a passagem seguinte também se refere à morte. Mas se “negar-se a si mesmo” é rejeitar a intimidade carnal, então “perder a vida” significa abandonar as volúpias carnais.

*****************

PRÓXIMA PÁGINA – Página 4

Share This:

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.